RPTF | VOLUME 8 | ANO VI

Competências de linguagem de crianças em idade pré-escolarcom Epilepsia Benigna com Pontas Centro-Temporais

 

Joana Marta Teixeira, Maria Emília Santos e Paulo Oom 

 

RESUMO

Objetivos: Na vasta diversidade de síndromes epiléticas existentes, a Epilepsia Benigna com Pontas Centro-Temporais é a mais comum neste período. Sabe-se que a atividade epilética desta síndrome pode ter impacto nas competências cognitivas das crianças, nomea-damente ao nível da atenção e da memória, e também da linguagem. Dentro deste conjunto de perturbações, as de linguagem na idade pré-escolar são até à data as menos estudadas em profundidade. Pretende-se assim obter informações precisas acerca das competên-cias de linguagem das crianças com esta neuropatologia em idade pré-escolar e explorar a sua relação com os fatores clínicos associa-dos à epilepsia.

Métodos: Foram avaliadas as competências de linguagem de quatro crianças com esta síndrome epilética, seguidas em duas unidades hospitalares de Lisboa, e sete controlos, com idades compreendidas entre os 3:4 e 5:11, a frequentar a mesma escola e emparelhados pela idade, sexo e nível socioprofissional dos pais. Todas as crianças incluídas não apresentavam limitações cognitivas, sensoriais ou motoras.

Resultados: Na globalidade, as crianças com esta síndrome epilética apresentavam competências inferiores aos seus pares na maioria das provas de linguagem. Estas crianças demonstraram maiores dificuldades nas capacidades expressivas de linguagem, tanto a nível morfossintático como semântico, assim como nas competências metalinguísticas. Devido à pequena dimen-são da amostra, não foi possível estabelecer uma relação direta entre estas competências e cada um dos fatores clínicos associados à epilepsia.

Discussão: Apesar de não ser possível generalizar os dados obtidos, os resultados indicam que estas crianças parecem demonstrar uma maior predisposição para apresentar competências de linguagem inferiores aos seus pares de idade em diversas áreas da linguagem.

Conclusão: Deve ser enfatizada a importância da avaliação precoce destas capacidades e a eventual necessidade de intervenção terapêutica, de forma a minimizar o impacto destas alterações no seu desempenho escolar e qualidade de vida. 

Palavras-chave:  Epilepsia Benigna com Pontas Centro-Temporais; Epilepsia Rolândica; Linguagem; Crianças; Pré-escolar 

DOI: dx.doi.org/10.21281/rptf.2019.09.01 

 
Copyright © 2019 Associação Portuguesa de Terapeutas da Fala
 

A Revista Portuguesa de Terapia da Fala é uma publicação da Associação Portuguesa de Terapeutas da Fala |  Copyright © 2020